BIOGRAFIA



Músico, compositor, instrumentista.

Pioneiro e mais importante músico de Blues de Minas Gerais e um dos principais do gênero no Brasil, Alexandre Araújo tem uma longa estrada dedicada à música.



Nos anos setenta viajava com seu irmão o músico e compositor Marco Antônio Araújo por todos os palcos do país. Nos anos 80 participou do grupo Mantra que tinha na época os mais importantes músicos da cena mineira - Ivan Corrêia, Mario Castelo, Eduardo Delgado e Laércio Villar.

Com formação clássica e popular, Alexandre participou dos discos de seu irmão, e do encontro com Jonas Lins, que une uma formação popular de rock e baião, surgiu este espetáculo já levado a várias cidades.

Depois decolou com o Aeroblues com o parceiro e amigo Ney Fiúza, aterrisou nos Estados Unidos, o berço do Blues, e apresentou o seu show Berimblues, um encontro de ritmos afro-brasileiros, rock, jazz, blues, folk, flamenco, música oriental e música regional mineira. Foi aplaudido pelos americanos que reconheceram em Alexandre uma técnica apurada de guitarra e um sopro forte da alma e sentimento dedicado ao Blues.


Seu último trabalho em Cd foi o Berinblues com direção artística do compositor e instrumentista André Geraissati egresso do Trio D’Alma.

Nos anos 90 formou o Alexandre Penna Blues e recrutou novos talentos como o guitarrista Paulo Savino e o baterista Bola Delgado.

 Alexandre Araújo reside em Belo Horizonte e atua em shows, workshops e casas noturnas espalhando e fazendo células do blues em todos os cantos do Brasil, cumprindo a promessa feita ao amigo e mestre B.B. King quando este esteve em BH e chamou Alexandre Araújo de "meu braço direito do blues no Brasil".

Alexandre Araújo vem espalhando o blues por todos os cantos do Brasil. Técnica apurada de guitarra, Alexandre toca gaita, canta e traz na alma o sentimento dedicado ao blues, ritmos afro-brasileiros, elementos do rock, e música oriental.

Nos últimos anos, Alexandre Araújo está recuperando partituras inéditas de seu irmão Marco Antonio Araújo e agora apresenta um concerto com músicas inéditas interpretadas com violão clássico. O objetivo é resgatar a memória da música mineira e promover o reconhecimento da importância da musicalidade e das influências de Marco Antônio Araújo para a música mineira e brasileira.



As composições escritas para trio, quarteto e orquestra de câmara serão executadas em violão solo - instrumento de composição do autor. A ideia é que no futuro esta obra seja eternizada em sua forma original.